Sistemática e análise cladística das espécies do gênero Gyropus Nitzsch (Phthiraptera, Amblycera, Gyropidae)

Publication Type:Thesis
Year of Publication:2010
Authors:M. Paiva Valim
Academic Department:Instituto de Ciencias Biologicas, Departmento de Parasitologia
Degree:PhD
Number of Pages:299 pp
Date Published:June 2010
University:Universidade Federal de Minas Gerais
Abstract:

Este trabalho avalia as relações de parentesco entre as espécies e status taxonômico do gênero Gyropus Nitzsch, 1818 (Amblycera: Gyropidae). Todas as espécies desse gênero possuem distribuição neotropical, ocorrendo da Nicarágua ao extremo sul da Argentina. Historicamente a sua classificação é um tanto conturbada, visto que há propostas para separação em diferentes gêneros que foram sumariamente rejeitados baseados em opiniões subjetivas. A primeira parte deste trabalho é um catálogo taxonômico completo, preparado para embasar a revisão de literatura sobre o assunto. Através de revisão taxonômica, buscou-se reconhecer os táxons pertencentes a esse gênero e avaliar as possíveis variabilidades intraespecíficas. A revisão teve ênfase na localização do material tipo e espécimes adicionais para todas as espécies. A partir da obtenção de material adicional, alguns estágios de desenvolvimento (ovos e ninfas I, II e III) de algumas espécies puderam ser pela primeira vez conhecidos, como: NI-NIII de G. cruzi, G. distinctus, G. longus, G. martini iheringi, G. lenti lenti, G. ovalis e G. persetosus; NII-NIII de G. setifer, G. lineatus e G. limai; ovos de G. lenti lenti e G. limai. Dados morfométricos foram incluídos nas descrições dos imaturos e a partir deles, índices de crescimento (índice de Brooks-Dyar e Crosby) foram pela primeira vez calculados para espécies de Gyropidae. Com o estudo desses imaturos, as ninfas de espécies de Phthiraptera puderam ser pela primeira vez sexadas desde a sua primeira fase, através de caráter quetotáxico. Após revisão, todas as espécies estudadas foram redesenhadas e remensuradas para os padrões atuais de estudo do grupo e, com isso, uma nova sinonímia foi encontrada: Gyropus mesoamericanus sin. nov. de G. setifer. Duas novas espécies serão descritas: Gyropus sp. nov. sobre Proechimys trinitatis de Trinidad e Tobago; e Eogyropus sp. nov. sobre Clyomys laticeps do Paraguai, ambos hospedeiros da família Echimyidae. Assim, foram analisadas 34 espécies, sendo 28 espécies de Gyropus, das quais duas novas espécies como grupo interno e 6 táxons como grupos externos (1 Trimenoponidae, 1 Protogyropinae e 4 Gyropinae). A hipótese filogenética baseada em 98 caracteres morfológicos resultou em 4 cladogramas igualmente parcimoniosos (comprimento=271; IC=52; IR=79). A monofilia de Gyropus foi fracamente suportada pela análise. Os resultados também suportam grupos monofiléticos, o que implicou na utilização de alguns nomes genéricos já publicados, como: Eogyropus Eichler (tipo G. lenti), Monogyropus Ewing (tipo G. longus) e Tetragyropus Ewing (tipo G. lineatus). Outros grupos, também bem suportados e sem nomes propostos serão tratados, como gêneros não nomeados, como grupos de espécies de Gyropus s.l. Uma espécie foi combinada em um outro gênero, Monogyropus pearsoni comb. nov. As associações entre espécies de Gyropus s.l. e seus hospedeiros sugerem processos de larga co-acomodação para os grupos ovalis e parvus; estreita co-acomodação para Eogyropus e co-especiação para Monogyropus, Tetragyropus e grupos cruzi, martini, parasetosus e ribeiroi. O grupo thompsoni apresentou associações do tipo larga co-acomodação e co-especiação. Uma chave é apresentada para separação dos gêneros de Gyropidae, bem como para as espécies de Gyropus s.l. tratadas nesta tese.

Keywords: Parasitologia, Anoplura, Roedor, Entomologia, Analise cladistica

Abstract in English:

Este trabalho avalia as relações de parentesco entre as espécies e status taxonômico do gênero Gyropus Nitzsch, 1818 (Amblycera: Gyropidae). Todas as espécies desse gênero possuem distribuição neotropical, ocorrendo da Nicarágua ao extremo sul da Argentina. Historicamente a sua classificação é um tanto conturbada, visto que há propostas para separação em diferentes gêneros que foram sumariamente rejeitados baseados em opiniões subjetivas. A primeira parte deste trabalho é um catálogo taxonômico completo, preparado para embasar a revisão de literatura sobre o assunto. Através de revisão taxonômica, buscou-se reconhecer os táxons pertencentes a esse gênero e avaliar as possíveis variabilidades intraespecíficas. A revisão teve ênfase na localização do material tipo e espécimes adicionais para todas as espécies. A partir da obtenção de material adicional, alguns estágios de desenvolvimento (ovos e ninfas I, II e III) de algumas espécies puderam ser pela primeira vez conhecidos, como: NI-NIII de G. cruzi, G. distinctus, G. longus, G. martini iheringi, G. lenti lenti, G. ovalis e G. persetosus; NII-NIII de G. setifer, G. lineatus e G. limai; ovos de G. lenti lenti e G. limai. Dados morfométricos foram incluídos nas descrições dos imaturos e a partir deles, índices de crescimento (índice de Brooks-Dyar e Crosby) foram pela primeira vez calculados para espécies de Gyropidae. Com o estudo desses imaturos, as ninfas de espécies de Phthiraptera puderam ser pela primeira vez sexadas desde a sua primeira fase, através de caráter quetotáxico. Após revisão, todas as espécies estudadas foram redesenhadas e remensuradas para os padrões atuais de estudo do grupo e, com isso, uma nova sinonímia foi encontrada: Gyropus mesoamericanus sin. nov. de G. setifer. Duas novas espécies serão descritas: Gyropus sp. nov. sobre Proechimys trinitatis de Trinidad e Tobago; e Eogyropus sp. nov. sobre Clyomys laticeps do Paraguai, ambos hospedeiros da família Echimyidae. Assim, foram analisadas 34 espécies, sendo 28 espécies de Gyropus, das quais duas novas espécies como grupo interno e 6 táxons como grupos externos (1 Trimenoponidae, 1 Protogyropinae e 4 Gyropinae). A hipótese filogenética baseada em 98 caracteres morfológicos resultou em 4 cladogramas igualmente parcimoniosos (comprimento=271; IC=52; IR=79). A monofilia de Gyropus foi fracamente suportada pela análise. Os resultados também suportam grupos monofiléticos, o que implicou na utilização de alguns nomes genéricos já publicados, como: Eogyropus Eichler (tipo G. lenti), Monogyropus Ewing (tipo G. longus) e Tetragyropus Ewing (tipo G. lineatus). Outros grupos, também bem suportados e sem nomes propostos serão tratados, como gêneros não nomeados, como grupos de espécies de Gyropus s.l. Uma espécie foi combinada em um outro gênero, Monogyropus pearsoni comb. nov. As associações entre espécies de Gyropus s.l. e seus hospedeiros sugerem processos de larga co-acomodação para os grupos ovalis e parvus; estreita co-acomodação para Eogyropus e co-especiação para Monogyropus, Tetragyropus e grupos cruzi, martini, parasetosus e ribeiroi. O grupo thompsoni apresentou associações do tipo larga co-acomodação e co-especiação. Uma chave é apresentada para separação dos gêneros de Gyropidae, bem como para as espécies de Gyropus s.l. tratadas nesta tese.

URL:http://hdl.handle.net/1843/SAGF-8HCP2G
DOI:10.13140/RG.2.1.4342.9924
File attachments: 
Wed, 2020-02-12 14:14 -- Yokb
Scratchpads developed and conceived by (alphabetical): Ed Baker, Katherine Bouton Alice Heaton Dimitris Koureas, Laurence Livermore, Dave Roberts, Simon Rycroft, Ben Scott, Vince Smith